sexta-feira, 29 de julho de 2016

ESTAÇÕES

Resultado de imagem para estações


 " VIVO ESTAÇÕES DESDE O DIA QUE NASCI;
UMAS MUITO BOAS, AS VEZES LOUCAS
OUTRAS RUINS."

Autora: Priscila Afonso
PORQUE?

Resultado de imagem para nada


" PORQUE AQUI NADA DURA?
TUDO É UMA FABULA.
UM SONHO, UM MOMENTO
ESQUECIMENTO E MAIS NADA. "

Autora: Priscila Afonso
APENAS ISSO

Resultado de imagem para BIBLIA


A LIVROS, QUE ADMIRO
A LIVROS EM QUE ME INSPIRO.
TEM OS QUE LEIO,
MAS NÃO PASSAM DISSO.

TEM OS QUE SÃO FABULAS
OS QUE TOCAM O CORAÇÃO.
OS QUE ME MATAM DE MEDO
OS QUE ME CAUSAM INDIGNAÇÃO.

UNS SÃO SÓ PARA ESTUDOS
OUTROS PARA PASSAR O TEMPO
ALGUNS SÓ POR DEVANEIOS
MAS OS DEIXO LOGO AO VENTO.

TODOS ELES JÁ PASSARAM
ERAM LIVROS E MAIS NADA.
SOMENTE ME RESTOU:
O QUE ME LIVRARIA DA DESGRAÇA.

Autora: Priscila Afonso
VIVER SEM TI



VIVER SEM TI, SERIA INFAME
FORA DO NORMAL.
TORMENTO CONSTANTE
DOR, SEM IGUAL.

BRINCAR SEM RESPIRAR
SONHAR SEM ACREDITAR
CASAR SEM AMAR
FICAR SEM ESTAR.

MAS DESEJO MAIS QUE ISSO
NÃO SOU NENHUMA FARSA.
SE AS VEZES ME ESCONDO
É PORQUE TE AMO DE OUTRA CASA.

Atora: Priscila Afonso

VERDADE DOLORIDA



ME FRAGMENTO EM PEDAÇOS
TODA A VEZ QUE VEJO VOCÊ
ME SINTO FRACA E DESORIENTADA
QUASE VINDO A DESVANECER.

MEU CORAÇÃO SE APERTA
OS SOLUÇOS NÃO SAEM
CHEGO ATÉ PENSAR
QUE NÃO VOU SER CAPAZ.

FICAR DE PÉ, SE TORNA DIFÍCIL
MEUS JOELHOS SE DOBRAM EM ADMIRAÇÃO 
NÃO SEI SE É APENAS FANTASIA 
OU PURA FÉ E REVELAÇÃO.

MAS QUANDO TU SE AFASTA É QUE MORRO
SUA PRESENÇA É ESSENCIAL
SEM TI NÃO SOU NADA MAIS:
" DO QUE UM SER DE EXISTÊNCIA BANAL."

Autora: Priscila Afonso

NA ESTRADA DA LIDA



Como numa corda bamba
Vou indo de um ponto a outro
Cambaleado de salto alto
Desfilando tentando manter o controle

Encravo a unha por desfalecer

Cansada de tanto inválidar
Um aparelho por entrar em coma
Sujeitou-me a naufragar

Se paro sorrio rápido

Temendo alguns desencantar
Desejos encabulados no peito
Ao mesmo tempo que ir podendo ficar

Não sabe mas viver

Se é cabível o direito de chorar
Só quer uma firmeza
De paz ao caminhar
Autora:Adriana Andrade


quarta-feira, 27 de julho de 2016

MAR MORTO


NEM TIVE TEMPO DE PARTIR 
NEM AO MENOS NAUFRAGAR. 
FOI VOCÊ OLHAR PARA MIM 
QUE PERDI-ME NO TEU MAR. 

MAR AZUL, SEM COR 
SEM NOME, NEM SOBRENOME. 
MESMO ME AMANDO 
JAMAIS LEVOU-ME AS FONTES. 

ESCONDEU OS TEUS SEGREDOS 
SILÊNCIO TODAS AS FÁBULAS. 
FEZ POUCO DO NOSSO AMOR, 
O TRANSFORMANDO EM SUCATA. 

POR ISSO HOJE NÃO TEM ONDAS 
CARECE DE AREIA. 
NÃO RECEBE MAIS VISITAS, 
NÃO TEM CONTOS DE SEREIA. 

Autora: Priscila Afonso

terça-feira, 26 de julho de 2016

A EXCELÊNCIA DO SÁBIO


Pedras foram depositadas
Na estrada da minha vida
Andava eu com preocupação
A limitar passos dados cuja pedra impedia
Descansado e sem pressa
Fui dando passos curtos
Ao observar a cada ponto
Decidi lapidar meu mundo
Depositava mais uma pedra
Facilitando assim meu rumo...

Autora:Adriana  Andrade 
http://www.recantodasletras.com.br/autores/drika1997

sábado, 23 de julho de 2016

CONVERSAÇÃO



" QUANDO PRECISO NÃO ME OUVEM,
NEM AO MENOS ME DÃO ATENÇÃO.
DAÍ FICO QUESTIONANDO:
QUAL O SENTIDO DA CRIAÇÃO?

UM DIA TUDO SE PERDE.
TUDO IRÁ SE ESQUECER...
MAS DAÍ DEUS ME CONSOLA.
SEMPRE LEMBRAREI DE VOCÊ."

Autora: Priscila Afonso
AMAR!



"SENTIR DO VIVER É AMAR.
AMAR E PODER SER FELIZ,
SEM MEDO DE SE MAGOAR;
SOFRER POR QUEM NÃO TE QUIS."

Autora: Priscila Afonso
EPÍGRAFE


Era um frio que não sentia

Mas previa
Pelos arrepios d'alma.

Vibras enrijecidas como faca
A cortar entranhas minhas
Numa fria dilacerante dor

Petrificado amor
Com o simblo guardado
Frio estático sem cor.

Era amor? Ou era frio?
Mas previu..Sentiu!
Gélido olhar cortante
Ausente..Esculpiu.
Ta guardado 
Na epígrafe do meu peito!

Marilene Azevedo

(CONTRIBUIÇÃO DA AUTORA: MARILENE AZEVEDO).
CICLO!


Uma branca parede
O vermelho escorre
O povo já com sede
A oposição já morre!
Ensaio armado, pelo teu poder
Tudo se faz, tudo se arquitecta
Tudo se justifica, e eles? A ver,
Esperando, estanque morte certa!
Velha, egotista olhando o umbigo
Europa, fogem as ilhas ocidente,
A oriente discordas correm contigo
E nós? Seguimos a vida indiferente!
Negras nuvens cobrem brancas paredes
A história é um ciclo, um dia repete-se!
Alberto Cuddel®

(ESTÁ É UMA CONTRIBUIÇÃO DE ALBERTO E M. IRENE CUDDEL.  Ciclo! escritanoface.blogspot.com )



sábado, 16 de julho de 2016

POETISA DE TODOS OS TEMPOS !


Sou entre flor e nuvem,
estrela e mar. Por que
havemos de ser unicamente
humanos, limitados em chorar?
Não encontro caminhos fáceis
de andar. Meu rosto vário
desorienta as firmes pedras
que não sabem de água e de ar.


O HOMEM E A IGNORÂNCIA



Vivia viajando
Era livre e feliz
Mas veio um sujeito
E fez o que quis

Pensava ser esperto
Talvez não tivesse maldade
Mas sem dar importância
Trancou-me atrás das grades

Eu perdi minha família
Tristonho parei de cantar
Mas sem poder fugir
Pus-me observar

Eu pequenino e muito frágil
Contentei-me com o que tinha
Sem ter mais o que fazer
Cantei para alegrar uma menina

Seus cabelos cacheados
Lembrava-me o meu ninho
Em seus olhos azuis
Me via no céu azulzinho

O pai da menininha
Andava desassossegado
Pobre humano esquisito
Que pensa ser sensato

Mas os dias se passaram
Não vi mais o tal pela casa
Por acaso descobrir
Que agora era ele quem estava numa jaula

Autora: Priscila Afonso.
FOLHA



Em busca de uma nova esperança
Vou seguindo ao relento.
Como uma folha de uma árvore,
Levada pelo vento.

Ainda não encontrei o que procuro,
Mas vou procurando sem desistir.
Como uma folha de uma árvore,
Que insisti em não cair.

Não desisto dos meus sonhos,
Sonho sim mais uma vez.
Como uma folha de uma árvore,
Que nasce outra vez.

Sofro ainda com aquilo,
Uma dura partida.
Como uma folha de uma árvore,
Que se encontra caída.

Contribuição do Autor_Thiago Daniel Ianson
(Encontre mais escritos desse Autor no site: 
RECANTO DAS LETRAS)

sexta-feira, 15 de julho de 2016

GRAVIDADE



" QUIS SER COMO AS ESTRELAS, 
ME ESFORCEI PARA SER A MELHOR;
E ASSIM COMO ELAS, ACABEI VIRANDO PÓ."


Autora: Priscila Afonso
COMPETIÇÃO



" DADA FOI A LARGADA,
CORRI SEM NEM PARA O LADO OLHAR;
COM VONTADE DE VENCER
NEM PUDE DESFRUTAR."


Autora: Priscila Afonso

quinta-feira, 14 de julho de 2016

DISTORÇÃO


Fui balançando com o vento
E acabei adormecendo com a suavidade
No sonho meus olhos viam
Juntava as imagens

Fui do chão ao alto
Montando um quebra-cabeça
Passava tons misturados
Um enxame de belezas

Fui numa aquarela de um cotidiano
Tatuado numa tela
As cores tinham vidas
Gritavam de uma cela

Fui contemplando
A vidraça perder a graça
Se embaçava com os suspiros
Daqueles que perdiam a fala

Fui e cheguei
No momento que despertei
Tirei os chinelos
E então mergulhei

Autora : Adriana Andrade


quarta-feira, 13 de julho de 2016

APELO


Desejo que o teu olhar
Guia-me continuamente
Que suas mãos toquem as minhas
E que nosso fervor não se apague

Que nosso sorriso
Se perpetue
Que nossa valsa
 Não se cale

Deite nos meus braços
E se deleite nos meus destinos
Faz-me amigos
De meus inimigos

Tenha dó de mim
Se compadeça
Faz com que o nosso amor 
Nunca se esqueça


Autora : Priscila Afonso


PENSAMENTO


A cada decisão uma dúvida
A cada atitude uma incerteza
Passos inseguros ás vezes dados 
Uma luz que se ofusca ao som dos meus passos
Uma pista de dança em forma de círculo
Coberta pela alegria avisto o perigo
Descanso e descubro 
Que novamente estou perdido...

Autora : Adriana Andrade

PENSAMENTO


Minhas dúvidas são segredos
Que prefiro não compartilhar
Fico com medo que me jugaste
Ou de forma errada me analisar

Por fim solto palavras pouco a pouco
Observando sua reação
As vezes me pego aliviado
Ou arrependido de minha ação...

Autora : Adriana Andrade

PENSAMENTO


Eu era do tipo que se calava
Quando a verdade era preciso ser dita
Me escondia com uma máscara
Para não encarar a vida

Mas bati de frente com a verdade
Cuja aquela não sabia pronunciar
Ela me encarou com voracidade
E conseguiu de mim 
O medo arrancar...

Autora : Adriana Andrade


PENSAMENTO


As vezes criamos necessidades desnecessárias
E submetermos nosso bem a elas
Retribuidos, mas nem sempre satisfeitos
Tomado pelo insossego
Nos colocamos a pecar
Enxergamos que por causa do desejo
A agonia e o desespero
Em nós veio habitar...

Autora :Adriana Andrade.


EXPERIÊNCIA SOCIAL


Democracia o quão difícil
És de ser compreendida
"Conceito teórico"
ou
"Prática vivida"

Na nudez democrática 
Encontra-se mais formosura
Do que em sua forma vestida

Vestida pelo Rei, livre como passáro
Envergonhada pela ganância
Trancafiada em seu naufrágio

Autora : Priscila Afonso






domingo, 10 de julho de 2016

QUANDO VOCÊ ME ACOLHEU



Fugi de seu amor
Sem querer a ti corresponder 
Não aceitei ti adorar
Mesmo ouvindo falar de teu poder

Nos males deste mundo
Sozinho me encontrei
Buscando fé na esperança
Precisamente ti chamei

Você me acolheu
Por vê que eu estava arrependido
Salvando assim a minha alma
Das crueldades de um mundo perdido

Autora: Gláucia afonso

sábado, 9 de julho de 2016

ADEUS


Quando o telefone tocou
O atendi meio animada
Mas ao terminar a ligação 
Senti-me meio desesperada

A felicidade que estava por vim
Também poderia me calar
E parte dentro de mim 
Ainda não está pronta para cessar

Sei que é preciso confiar em Deus
E nele firme crer 
Mas é difícil se sentir segura
Quando não se sabe o que vai acontecer

E daí você chora por dentro
Porque por fora não pode chorar
Para que os que te rodeiam
Não venha se preocupar

Nessa jangada tensa
Resta-me esperar
E ter fé do que o "EU SOU"
É fiel para me ajudar 

Não minto ainda estou com medo
Porém com esperança
E seja lá o que aconteça
Segue os versos que te alcança

Autora: Priscila Afonso


A

A

A












O QUE O FUTURO NOS RESERVOU


Um dia olhei para você 
Me aprofundei no teu olhar
Passei horas apreciando
O que não era para apreciar

O futuro reservou
Para nós uma surpresa
Uma árvore sem raiz
Carregando frutos de alegria e tristeza

Vulnerável ao sopro do vento
Começou a balançar 
Apodreceu com o tempo
Por duas crianças que não sabiam regar

Autora: Adriana Andrade