sábado, 23 de julho de 2016

EPÍGRAFE


Era um frio que não sentia

Mas previa
Pelos arrepios d'alma.

Vibras enrijecidas como faca
A cortar entranhas minhas
Numa fria dilacerante dor

Petrificado amor
Com o simblo guardado
Frio estático sem cor.

Era amor? Ou era frio?
Mas previu..Sentiu!
Gélido olhar cortante
Ausente..Esculpiu.
Ta guardado 
Na epígrafe do meu peito!

Marilene Azevedo

(CONTRIBUIÇÃO DA AUTORA: MARILENE AZEVEDO).