quinta-feira, 4 de maio de 2017

POESIA SEM CÉU

POESIA SEM CÉU


Tão inocentes são os pássaros.
Tão delicadas as borboletas.
Estes não precisam de teto.
Só obedecem a natureza.

Seus olhos são puros,
Não se prendem a uma casa.
Enquanto os homens brigam,
Se matam a troco de nada.

A se eu fosse como eles,
Não morasse no hotel.
Experimentaria a liberdade,
Viveria além do céu...

AUTORA: PRISCILA AFONSO