quarta-feira, 3 de agosto de 2016

SINTO TANTO A TUA FALTA


Sinto tanto a tua falta
E, falta do nosso amor
A noite já vai alta 
E, só penso em ti linda flor



É no silêncio da noite 
Que ouço a tua voz
O que faz, com que me afoite 
E, o meu coração bata veloz



Levanto-me, vou para janela
E, contemplo o horizonte
Como por milagre avisto ela
Bem ao longe, a sua bela fronte



Grito desesperadamente
Na tentativa de me fazer ouvir
Mas tu manténs-te indiferente
E, vejo a tua silhueta se extinguir



Não partas, não te vás embora
Chego a bradar aos céus 
Necessito muito de ti agora
E, dos teus beijos, que são meus 



Ouve-me, e volta bem depressa 
Não consigo viver assim 
Nada à minha volta, me interessa
Se tu não estiveres junto a mim 




Luís Filipe D. Figueiredo



Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)