quarta-feira, 3 de agosto de 2016

PRIVILEGIADA


Nada mais sou
Do que já fui um dia
Vivi uma parte do que a existência de alguém
Teve a capacidade de ser algo a mais do que a minha vida 

Se não fosse pelo saber

Andaria seguindo trilhas
Culpando a natureza
Por todas as armadilhas

Um ser se tornou o todo

De tudo submerso a águas
Coberto por folhagens 
Ou escondido numa toca

Mas subi do grau ao degrau

Fiquei livre das dores escolhidas
Não me permiti ser picada por cobras
Desfiz as alianças sujeitas a rixas


Autora:Adrina Andrade
Recanto das Letras
(http://www.recantodasletras.com.br/autores/drika1997)