terça-feira, 30 de agosto de 2016

MISTÉRIO



As pessoas não entendem porque não choro,
Não me canso, não me desanimo.
Vejo através da mesma imagem,
Que as fura como espinho.

Deixa eu no meu canto,
Esse é meu único pedido.
Não estudei para teatro,
Então não aplaudo, não minto.

Nesse momento me resguardo,
Lembro da honra de ter um véu.
Só assim me mantenho firme,
Já que em circunstâncias nos deparamos em meios aos réus.

( Dedico com carinho, este poema a uma amada irmã da Igreja de   Deus...) 


Autora:Adriana Andrade