sexta-feira, 1 de julho de 2016

MUNDO PARALELO

Com o rosto encostado no vidro
Observo os carros passar


Com eles meus pensamentos se esvai
Deixando um vazio no ar

O balanço da condução
Borra os quadros feitos por mim

Os burburinhos colaboram
A fazer-me desistir

Então largo  os pincéis
Deixando os fugir pela janela

Em seguida crio laços
Tentando firmar meus pés

E numa freada de uma pisada
Me deparo com um novo quadro

Pintado com fragmentos
De rabiscos desenhados



Autora: Adriana Andrade